lifestyle

E se eu fosse o Harry Potter?

Imaginem uma miúda de 2 anos, agora imaginem-na a usar óculos. Sim, sou eu. Acho que nunca conheci uma realidade em que não precisei de usar óculos. E por isso mesmo sempre escolhi armações que fossem “eu” e que transmitissem o que eu sou.

E há duas semanas, lá fui eu à consulta de todos os anos para actualizar a graduaçao – aproveito para vos dizer que este ano fui à Wells porque a consulta é gratuita – e ia só mesmo no intuito de actualizar a gradução até porque eu amava os meus oculos antigos. Mas assim que entro na Well’s vi estes redondinhos apaixonei-me! São da marca Pump e tiveram de vir comigo! Passado 20min lá vim eu com os óculos novos, toda contente da minha vida. Digam-me o que acham, gostam dos meus óculos novos? Acham que me ficam bem?

Standard
diary

utopicamente falando

Deixaste-me acreditar que era real. Que as nossas mãos entrelaçadas não seriam só mais umas mãos entrelaçadas, fizeste-me acreditar que seriam os nossos mundos a colidir. Que quando nos beijámos as estrelas estavam alinhadas.

(…)

Lembro-me de te dizer que não gostava de promessas. Ainda assim gostava que, no silêncio, tivesses não-prometido que ias ficar. Mas tu sempre foste o mestre do romance, ou devo chamar-lhe ilusão? Com a tua música e o teu sorriso, com as tuas piadas e viagens de carro. Com o teu olhar.

Gostava quando me respondias, mesmo sem eu ter perguntado, que gostavas de olhar para mim. Mas tudo não passou dum jogo, dum desafio. Ironia porque todos os sinas estavam em cima da mesa. Quando te deixava nervoso e insistias em brincarmos com palavras, brincarmos de falar verdade a mentir. Era aí que devia ter desconfiado? Não o fiz, mas mesmo assim não me arrependo.
Porque quando te disse que tudo isto era uma utopia… Que o amor é uma utopia que criamos à força de escaparmos da solidão, tu não aguentaste em provar-me o contrário. Mas já Manel Cruz dizia que O amor é uma doença quando nele julgamos ver a nossa cura.

Mas talvez tudo tenha sido uma ilusão porque afinal tudo isto não passa duma utopia…

palavras perdidas de 2016

 

Standard
lifestyle

pos-alive

If you don’t have big dreams & goals you’ll end up working really hard for someone who does.
– Never stop dreaming.Porque a vida é feita de momentos bons, muito bons, e menos bons também. E só faz sentido caminhar ao lado de pessoas com a mesma energia, com o mesmo brilho nos olhos. Com a mesma vontade de viver. Obrigada às pessoas que me aturam todos os dias.
Quando os teus amigos têm mais estilo que tu…Para o ano há mais.

Standard
lifestyle

Posso-te dar boleia?

Porque a experiência do verão passado foi demasiado boa para não ser repetida, cá vou eu outra vez. Deixei o meu boguinhas estacionado no Alegro de Alfragide e aceitei a boleia para ir para o Nos Alive. Só a ideia de não ter de me preocupar onde vou deixar o meu carro tira-me anos de stress de cima! Aproveito para dizer que o estacionamento é totalmente g r a t u i t o basta teres o bilhete para o festival, e de 30 em 30 minutos a partir das 16h podemos apanhar o Alegro Bus e lá vamos nós, festivaleiros, aproveitar a boa música! Mas há melhor que isto? No final da noite há Alegro Bus até as 3h da manhã, portanto encontramo-nos lá?

Standard
my style

Run away with me

Depois de meses de ausência sinto que devia trazer algo mesmo mesmo giro. Acho que nunca fui muito de usar jardineiras, mas assim que vi estas apaixonei-me. O melhor de tudo é que fui eu que escolhi o padrão para as personalizar aqui

“I am learning to love the sound of my feet walking away from things not meant for me.”

Fotografia por Márcia Soares

Standard